Guerras apelam sempre à emoção

Os conflitos bélicos são assuntos que apelam ao lado emotivo e por isso dividem facilmente a sociedade, defendeu Vítor Tomé, investigador especialista na área da literacia mediática, membro da equipa Iberifier, tendo por base o trabalho desenvolvido pelos peritos Herr e Huddleston (2015). Na mesa redonda sobre limites da comunicação em tempo de guerra, que decorreu a 28 de março, sublinhou a importância das estratégias para desmontar as narrativas dos média.

O professor da Universidade Autónoma explica que quando os jovens não entendem as notícias, como verificou nas suas pesquisas, a tendência é seguir a informação dominante na avenida principal. Vítor Tomé tem estudado a perceção das notícias pelas crianças que frequentam o primeiro ciclo e tem concluído que estas não só as consomem como gostam de as comentar, embora também muitas vezes tenham dificuldade em as entender.

As explicações foram proferidas durante o debate “Fronteiras da Comunicação em tempos de conflitos bélicos”, que decorreu a 28 de março, organizada pelo Grupo de Leitura CMC, Cultura, Media e Cidadania, em colaboração com o Grupo de Jovens Investigadores da SOPCOM.

A discussão do papel dos média na cobertura de conflitos contou ainda com Andreia Martins, designer de comunicação, que dirige a associação “Coolpolitics”, na qual desenvolve projetos de capacitação cívica e política, nomeadamente o programa “bem comum” e Pedro Rios, editor online do “Público”, que alertou, por exemplo, para o papel do humor na propagação de notícias falsas. “O que faz rir tende a ter sucesso”. No seu entender, em causa de dúvida sobre a veracidade da informação, a melhor estratégia é não as publicar ou esperar que estas sejam verificadas pelos jornais que têm equipas robustas de verificação como é o caso do “New York Times” ou “Washington Post”.

Otros artículos

Debate na Associação Académica sobre como se deve desmascarar a desinformação

O curso "Literacia digital em ação contra a desinfomedia", promovido pelo projeto IBERIFIER; que juntou jornalistas da Rádio Universidade de Coimbra, de A Cabra, e outros estudantes universitários envolvidos em projetos de informação, terminou...

Curso para jornalistas em Coimbra: Desconfiar da foto do beijo do presidente

O curso de literacia digital contra a desinformação que decorreu dia 22 junho em Coimbra junto dos jornalistas do Diário de Coimbra começou pela crescente constatação de desconfiança sobre os conteúdos de média, demonstrada...

Digital News Report: Crise Comunicacional, interesse pelas notícias em queda

Gustavo Cardoso explicou na RTP que "vivemos numa crise comunicacional há algum tempo. Não é só uma crise ambiental". O coordenador do Obercom, Observatório de Comunicação, e do IBERIFIER, baseou-se nos dados do "Digital...

Primeiros resultados IBERIFIER: Existem 1248 marcas informativas em Portugal

Uma recolha de dados exaustiva permitiu identificar 1248 meios informativos em Portugal. Este é um dos dados preliminares da pesquisa levada a cabo, desde o início de 2022, pela equipa IBERIFIER portuguesa, que foi...

El Proyecto EFCSN publica los resultados de la Consulta Abierta sobre el Código de Estándares Europeos para verificadores

El proyecto European Fact-Checking Standards Network (EFCSN) ha publicado este 8 de junio un informe que resume los resultados de la Consulta Abierta, llevada a cabo a lo largo del mes de abril, sobre...