Musk quer entrar no campo de futebol da democracia

A aquisição do Twitter por Elon Musk suscita questões e receios. “Elon Musk compra o campo de futebol onde a democracia se joga”, declarou Gustavo Cardoso, professor do ISCTE, dia 27 de abril, ao podcast “Explicador”, do Observador. O que significa que independentemente da manutenção das dinâmicas e da relativa independência, o Twitter passa a estar sob alçada de um proprietário.

Gustavo Cardoso alerta: hoje em dia não é só o jornalismo que usa esta mediação, são os políticos e os milhões de portugueses que a escolhem e também todos aqueles que gostavam de ser comentadores e jornalistas em Portugal. O Twitter é “um espaço onde a política está e onde a democracia também se constrói”. Os políticos escrevem no Twitter, os jornalistas vão buscar essas declarações ao Twitter, e escrever sobre elas, para depois serem comentadas através do mesmo Twitter.

Elon Musk está a tirar partido do “Capitalismo comunicacional”, que valoriza tudo o que se diz, ou seja, sabe ganhar dinheiro com o que se diz. Elon Musk fala e esses produtos são valorizados ainda que indiretamente, e tornam-se êxitos comerciais.

Rita Figueiras, professora da Universidade de Católica, outras das intervenientes no programa, lembra que esta questão traduz dois pontos de vista sobre o que se pretende da liberdade de expressão: restituí-la ou limitar essa liberdade de expressão. Uma das vantagens desta compra é precisamente esta nova discussão à volta da liberdade de expressão e do que deve ser a moderação.

Otros artículos

Livro: pesquisas sobre os desafios que se colocam ao “podcast” e aos novos negócios

Dois artigos portugueses integram o livro "IWEMB2020, Fourth International Workshop on Entrepreneurship, Electronic and Mobile Business", dedicado aos novos formatos a explorar no jornalismo e comunicação. A coordenação coube a Stephan Bohm e Sig...

Literacia no terreno: jornalistas e professores juntos e jogos com notícias falsas

Vítor Tomé explicou no Webinar "Media Literacy in Practice", que decorreu a 16 de novembro, as particularidades dos projetos de literacia mediática que estão a ser desenvolvidos em Portugal e Espanha. Em Portugal, as...

Cidadãos partem das notícias dos jornalistas mas acrescentam-lhes informação

Os indivíduos não produzem jornalismo no sentido tradicional mas podem acrescentar elementos à informação e ganhar conhecimento acerca da notícia. Esta foi uma das conclusões proferidas por Miguel Crespo, coordenador do projeto IBERIFIER, durante...

Fazer literacia dos média apoiando professores e a partir da participação da comunidade escolar

Os professores começam por oferecer resistência às iniciativas de literacia por causa de duas razões: primeiro, temem que as lições interferiram no programa e no encadeamento das matérias planeadas; segundo, receiam não ter conhecimentos...

Estar informado significa encontrar o que se precisa sobre o que está a acontecer

No século XXI mudou a percepção sobre o "estar informado", começou por explicar Gustavo Cardoso ao programa "45 Graus", conduzido por José Maria Pimentel. No século passado significava estar atento às notícias, mas no...