Redes sociais reguladas como a eletricidade?

O tema em cima era a compra do Twitter por Elon Musk. Gustavo Cardoso, professor do ISCTE, explicou a Paulo Baldaia, no podcast “Expresso da Manhã”, dia 27 de abril, que esta notícia remete para um problema maior relacionado com a necessidade de regulação das redes sociais. O importante é colocar a questão: as redes sociais devem ser reguladas como o jornalismo ou como outros bens, água ou eletricidade?  https://expresso.pt/podcasts/expresso-da-manha/2022-04-27-Expresso-da-Manha-para-que-e-que-Elon-Musk-quer-o-Twitter–ffff51d6.

“Afinal, a comunicação e estas formas de comunicação em particular, devem ser encaradas como o ar que respiramos? E, se sim, como devem ser reguladas?”, continuou a questionar. O coordenador do Iberifier, Gustavo Cardoso, defende que as regras devem ser as mesmas para o domínio “off line” e “online”, embora reconheça que na questão da aplicabilidade possa haver diferenças: uma coisa é falar de gatinhos e outra de um ataque ao Capitólio. Ainda não existe um modelo de regulação para lidar com as redes sociais e com a desinformação, o único mecanismo que tem existido é aplicar multas, sublinha.

Portanto, na sua perspetiva, colocar limites faz sentido, embora lhe custe perceber que esses limites sejam colocados “ad hoc”, em função das circunstâncias, como aconteceu com o bloqueio dos canais russos na Europa.

O investigador do ISCTE lembra ainda que a mundo da comunicação continua a gerar dinheiro e poder, e que na nossa época, a época da mediação, são estas as tecnologias mais procuradas. A cobiça pelos meios de comunicação continua a ser relevante para os empresários. “Depois de comprar tudo, só falta comprar ideias”, disse.

Otros artículos

Iberifier asesora al Congreso de los Diputados con evidencia científica sobre desinformación

La Oficina C, Oficina de Ciencia y Tecnología del Congreso de los Diputados en España, ha publicado recientemente un informe sobre Desinformación en la era digital. Este documento reúne evidencia científica en torno a...

Congresso dos Jornalistas: “A desinformação triunfa quando consegue que as pessoas duvidem de tudo”, diz Ramón Salaverría

O coordenador principal do projeto IBERIFIER, Ramón Salaverría, declarou no painel dedicado à literacia que integrou o V Congresso dos Jornalistas, que decorreu em Lisboa de 18 a 21 de janeiro, que o jornalismo...

Investigador IBERIFIER: Miguel Crespo é o novo director do Cenjor, escola de referência para jornalistas

O investigador do IBERIFIER Miguel Crespo é o novo director do Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas, Cenjor. Miguel Crespo é professor no ISCTE - IUL, Instituto Universitário de Lisboa, especialista em novos...

Relatório sobre tendências de média: o desafio da diferenciar o jornalismo de outros conteúdos

O documento sobre "as tendências e inovação dos média no ecossistema português e espanhol", produzido pelo IBERIFIER e publicado no dia 10 de janeiro, aponta, além de tendências, alguns desafios à atividade jornalística. Um...

Novo relatório IBERIFIER: IA, verificação de factos e formatos visuais entre as tendências de média para os próximos anos

O primeiro relatório deste ano do Observatório Ibérico de Média Digitais e da Desinformação, IBERIFIER, é sobre o tema das novas tendências de média para 2025/2030. Entre as conclusões do documento "Análise de tendências...