Debate na Associação Académica sobre como se deve desmascarar a desinformação

O curso “Literacia digital em ação contra a desinfomedia”, promovido pelo projeto IBERIFIER; que juntou jornalistas da Rádio Universidade de Coimbra, de A Cabra, e outros estudantes universitários envolvidos em projetos de informação, terminou com um debate sobre a forma como o jornalista deve atuar para corrigir a desinformação. Gonçalo Pina, um dos participantes, defendeu que dar muita visibilidade a certos temas poderá ainda reforçar a sua popularidade.

As opiniões sobre o assunto foram diversas, sendo ponto assente que se está diante de um problema que tem de ser tratado com rigor, sobretudo quando os assuntos suscitam teorias da conspiração. O curso de quatro horas que decorreu dia 29 de junho, no auditório Salgado Zenha, na Associação Académica de Coimbra, contou com 14 participantes.

Que perceção têm do vosso contacto com a desinformação? “É a toda a hora”, respondeu uma das participantes, merecendo a declaração a concordância dos restantes. Durante o módulo sobre a utilização das ferramentas de verificação, um grupo de jornalistas propôs, inclusive, a análise de uma notícia recente, que está a ser partilhada com o logotipo de um jornal português de referência, cujo título levantou suspeita. O trabalho desenvolvido permitiu não só detetar a manipulação do texto como identificar que a notícia estava a ser disseminada a partir de um perfil falso.

Otros artículos

Ladbrokes Online Casino Promotion Code

• Edition:• amazing race rachel and dave still married• |• ifm al1122• In the Newscan i use draftkings in california• jumper cues 2k22• chalets for sale seadell hemsby• the sledgehammer delta 10 how to...

Encerrados 11 grupos com páginas de jornais pelo IGAC

O ecossistema das aplicações que permitem a partilha em pdf de edições de jornais não é estável. O encerramento é uma prática regular, assim como a sua substituição para outro alojamento digital. O relatório...

Portugal acima da média europeia no consumo ilegal de imprensa e filmes

O acesso indevido a conteúdos online é significativo. 930 mil portugueses admitem ser consumidores ilegais de jornais, revistas, filmes, música, segundo o inquérito conduzido pelo Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia (EUIPO), realizado...

Pirataria na imprensa: 600 mil portugueses leem jornais em pdf através do Whatsapp

Onde estão os leitores dos jornais? No submundo da ilegalidade, que inclui partilhas de páginas de pdf, estão aos milhares. Mais de 600 mil portugueses leram imprensa diária e revistas pirateadas através do Whatsapp,...

Quando o problema da desinformação está dentro do jornalismo

Algumas práticas jornalísticas estão a contribuir para a desinformação e a desconfiança no jornalismo, defenderam Miguel Crespo e António Granado, na mesa redonda promovida pelo MediaTrust.Lab sobre “Boas práticas no jornalismo e promoção da...