Conferência: Compreender a desinformação para aplicar boas práticas

O “Webinar” promovido pelos Observatório Ibérico de Média Digitais e da Desinformação, IBERIFIER, durante o qual foram apresentados os primeiros resultados das pesquisas sobre Portugal, contou com a participação de Ramón Salaverría, professor da Universidade de Navarra, e coordenador geral do IBERIFIER, e de Gustavo Cardoso, responsável pela equipa de investigação portuguesa. O professor do ISCTE – IUL sublinhou que os trabalhos em curso visam não só compreender melhor a desinformação como produzir boas práticas para os jornalistas lidarem com este fenómeno. Ramón Salaverría evocou, entre outros aspetos, os estudos em curso que pretendem atuar na neutralização da desinformação, recorrendo, por exemplo, à Inteligência Artificial (IA).

“É preciso compreender a desinformação no quadro da sociedade em rede”, explicou Gustavo Cardoso, na sessão de 14 de fevereiro, transmitida via online. “Este é o primeiro passo do projeto para compreender a desinformação no quadro da comunicação em rede”. Durante a conferência foi divulgado o relatório sobre o “Impacto da desinformação na Indústria dos média em Portugal e Espanha” e o mapeamento dos média digitais existentes em Portugal, que podem ser consultados em:

https://iberifier.eu/2023/02/15/iberifier-reports-the-impact-of-disinformation-on-the-media-industry-in-spain-and-portugal/ e em https://map.iberifier.eu/.

Gustavo Cardoso destacou a complexidade do fenómeno desinformativo. “Deixamos de viver num mundo em que a autenticidade na comunicação social se baseava nos mass média, era factual. Hoje, a autenticidade é também individualizada e temos de lidar com um novo tipo de desinformação que é um subproduto da nossa forma de comunicar”.

Ramón Salaverría alertou para o facto de que o contexto de eleições, que vai marcar este ano de 2023 em Espanha, ser muito propício à disseminação de desinformação, de conteúdos deliberadamente falsos, que querem influenciar a opinião pública. Evocou ainda outras pesquisas IBERIFIER que estão a trabalhar no sentido de dar um contributo para desmontar o fenómeno numa dimensão tecnológica. “Entre as nossas pesquisas estão as que incidem na área da computação e a IA, para tentar neutralizar o campo desinformativo”. A tecnologia por si só não resolve tudo, mas há algumas vantagens na sua aplicação, explicou.

Otros artículos

Iberifier asesora al Congreso de los Diputados con evidencia científica sobre desinformación

La Oficina C, Oficina de Ciencia y Tecnología del Congreso de los Diputados en España, ha publicado recientemente un informe sobre Desinformación en la era digital. Este documento reúne evidencia científica en torno a...

Congresso dos Jornalistas: “A desinformação triunfa quando consegue que as pessoas duvidem de tudo”, diz Ramón Salaverría

O coordenador principal do projeto IBERIFIER, Ramón Salaverría, declarou no painel dedicado à literacia que integrou o V Congresso dos Jornalistas, que decorreu em Lisboa de 18 a 21 de janeiro, que o jornalismo...

Investigador IBERIFIER: Miguel Crespo é o novo director do Cenjor, escola de referência para jornalistas

O investigador do IBERIFIER Miguel Crespo é o novo director do Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas, Cenjor. Miguel Crespo é professor no ISCTE - IUL, Instituto Universitário de Lisboa, especialista em novos...

Relatório sobre tendências de média: o desafio da diferenciar o jornalismo de outros conteúdos

O documento sobre "as tendências e inovação dos média no ecossistema português e espanhol", produzido pelo IBERIFIER e publicado no dia 10 de janeiro, aponta, além de tendências, alguns desafios à atividade jornalística. Um...

Novo relatório IBERIFIER: IA, verificação de factos e formatos visuais entre as tendências de média para os próximos anos

O primeiro relatório deste ano do Observatório Ibérico de Média Digitais e da Desinformação, IBERIFIER, é sobre o tema das novas tendências de média para 2025/2030. Entre as conclusões do documento "Análise de tendências...