Congresso nos Açores: Desinformação, riscos e ameaças, e o papel do jornalista e do cidadão

O último painel do dia 29 abril do I Congresso de Jornalistas dos Açores tratou o tema “Desinformação na Era dos Novos Media” e contou com a participação de Daniel Catalão, jornalista da RTP e professor universitário, Miguel Crespo, professor do ISCTE-IUL e investigador do IBERIFIER, e Nuno Martins Neves, jornalista do Açoriano Oriental, tendo a moderação sido assegurada por Ana Gil, professora da Universidade dos Açores.

As conclusões do encontro, que reuniu mais de 100 jornalistas, relacionadas com este tema foram cinco. A primeira aponta que numa época dominada pelas notícias falsas, a par da divulgação de ferramentas de Inteligência Artificial, urge combater a desinformação e os muitos riscos e ameaças que ela gera, como o populismo e a manipulação da opinião pública.

A segunda: o combate à desinformação passa por consciencializar a classe jornalística da necessidade de descontruir a falsa notícia através da confirmação dos factos. Refere-se, porém, que esta atuação está fragilizada pelas dificuldades que a profissão atravessa: redações reduzidas, excesso de trabalho. E por isso se considera fundamental dotar os jornalistas de condições necessárias aos seu desempenho (terceira e quarta conclusão associada à desinformação).

A reflexão abordou ainda a necessidade de promover a literacia para os media, para formar públicos com espírito crítico. As restantes conclusões podem ser consultadas aqui: https://jornalistasacores.com/conclusoes/?fbclid=IwAR3vvgroIpjSntFcLL-B-gubXR7Zlk1h-oCAUqS2azIPkq8kH2DKlf83svA

Um dos pontos altos deste congresso foi a participação do jornalista de investigação Michael Rezendes, descendente de açorianos, Prémio Pulitzer por duas vezes, que integrou o painel sobre “O Poder do Jornalismo de Investigação”, ao lado do jornalista Pedro Coelho, de “O Consórcio”. A página do Congresso fornece mais elementos sobre os participantes e análises que juntou jornalistas e académicos. https://www.facebook.com/profile.php?id=100089644546193 Fotos de Hugo Moreira.

Otros artículos

El observatorio europeo Iberifier, coordinado por la Universidad de Navarra, inicia en Pamplona su segunda etapa 

Compuesto por 25 entidades de España y Portugal, este centro promovido por la Comisión Europea continuará investigando sobre medios digitales y desinformación  Pamplona, 23 de mayo. El observatorio ibérico de medios digitales Iberifier (www.iberifier.eu), creado...

Relatório IBERIFIER: Verificadores apontam necessidade de formação em IA

O relatório "Necessidades e desafios do 'fact checking" em Portugal e Espanha", lançado esta sexta-feira pelo Observatório Ibérico de Média Digitais, IBERIFIER, apresenta as principais carências e desafios que se colocam na atualidade ao...

IBERIFIER Reports – Needs and challenges for Iberian fact-checkers

This IBERIFER report presents a crucial investigation conducted as part of Work Package 3 within the IBERIFIER project, focusing on fact-checkers in the Iberian Peninsula—their current state, and the training and technological needs that...

Relatório IBERIFIER: Os jovens são os que revelam mais desinteresse pelas notícias

O estudo "Padrões de consumo de desinformação em Portugal e Espanha", realizado pelas equipas IBERIFIER, coordenadas pela Universidade de Navarra, Espanha, e pelo ISCTE - IUL, em Portugal, indica que são as faixas mais...

IBERIFIER Reports – Disinformation consumption patterns in Spain and Portugal

In this report we conduct a systematic analysis of the matters pertaining to the spread and evolution of disinformation in Spain and Portugal, in terms of forms of consumption, platforms, narratives and permanent adaptation...