IBERIFIER em Cabo Verde: “Desinformação é como a poluição para o jornalismo”

As comemorações oficiais do Dia Mundial da Liberdade de Imprensa, assinalado a três de maio, realizadas na cidade da Praia, em Cabo Verde, contaram com a presença de Miguel Crespo. O investigador do projeto IBERIFIER aproveitou as referências ao Atlântico, proferidas em painel anterior, para comparar o problema da desinformação com o da poluição no mar. “Pode ser comparável à poluição dos oceanos, a desinformação é hoje como a poluição para o jornalismo”.

“Moldar um Futuro de Direitos – Liberdade de expressão como motor de todos os outros direitos humanos”, o nome da conferência, organizada pela Associação dos Jornalistas de Cabo Verde (AJOC), contou com a presença do secretário de Estado Adjunto do Primeiro-Ministro, Lourenço Lopes, embaixador português em Cabo Verde, Paulo Lourenço, o embaixador dos Estados Unidos da América, Jeff Daigle, e a embaixadora da União Europeia (UE) em Cabo Verde, Carla Grijó, entre outros. https://www.facebook.com/jornalistascaboverdeajoc/videos/1388398688608133?locale=pt_BR

Nos dias quatro e cinco de maio, Miguel Crespo lecionou dois “Masterclass: Fake News e Fact Checking. Os desafios do jornalismo nas plataformas digitais”: um em Assomada e outro na Praia (ver cartaz).

Este conjunto de iniciativas aconteceram a convite da AJOC e com o apoio da representação da União Europeia em Cabo Verde. Miguel Crespo esteve no Palácio da Presidência, na Assembleia Nacional e realizou depois um périplo por universidades – Universidade de Santiago, na Assomada, Universidade de Cabo Verde e Instituto Superior de Ciências Económicas e Empresariais, na Praia – em representação do IBERIFIER – Observatório Ibérico dos Media Digitais e da Desinformação.

A metáfora da poluição foi explicada na parte inicial da sua apresentação no dia Mundial da Liberdade de Imprensa, recorrendo a autores como Claire Wardle. “Do ponto de vista da informação, a poluição é exatamente igual à desinformação”, referiu. “Tudo o que é hoje comunicação não jornalística é para o jornalismo um problema quando essa comunicação é desinformação”, declarou. E o primeiro problema, no ponto de vista do cidadãos, é reconhecê-la.

Miguel Crespo apresentou alguns exemplos, que fez acompanhar de alguns alertas. Quando há promessas que resolvem problemas no momento, devemos desconfiar”. A análise da linguagem e das intenções pode ajudar a desmontar esse tipo de conteúdo, disse. Se essas peças mascaradas de notícias usam muitos adjetivos ou oferecem uma resposta fácil, resolvem todos os nossos problemas, desconfie, recomendou.

Para o investigador, especialista em novos média, a desinformação influencia a forma não só como cada um age no seu dia a dia como a própria estabilidade democrática. “Quando os partidos políticos ou grupos políticos se opõem uns aos outros e utilizam a desinformação para fazer a oposição, isso tem consequência em todas as instituições”.

A sessão terminou com a explicação de que o “problema da desinformação não se resolve por decreto”, como sublinhou. “Não é um alvo fácil, não vem de um só sítio”, disse. Os sistemas automáticos podem evitar uma parte, a verificação a posterior também, referiu, mas a melhor forma é ensinar estes jovens – e dirigiu-se para a plateia – a lidar com o fenómeno.

Este conjunto de iniciativas aconteceram a convite da AJOC e com o apoio da representação da União Europeia em Cabo Verde. Comecei pelo Palácio da Presidência, fui até à Assembleia Nacional e depois seguiu-se um périplo por universidades (Universidade de Santiago, na Assomada, Universidade de Cabo Verde e Instituto Superior de Ciências Económicas e Empresariais, na Praia), em representação do IBERIFIER – Observatório Ibérico dos Media Digitais e da Desinformação.

POSTER MASTER CLASS final

Otros artículos

Bruxelas: Importância da formação para jornalistas e preparação dos jovens para a cidadania digital

Vitor Tomé, especialista em literacia para os média, membro da equipa de investigadores do IBERIFIER, participou na Semana Europeia da Juventude, que decorreu entre 12 e 19 de abril, no Parlamento Europeu, em Bruxelas....

Eleições em Portugal: MediaLab detecta anúncios políticos pagos por empresas estrangeiras em Portugal

Os investigadores do laboratório de média, MediaLab, do ISCTE - IUL, coordenados por Gustavo Cardoso, também responsável pelo IBERIFIER em Portugal, descobriram sinais de interferência externa na comunicação relacionada com a campanha política, que...

Conferência em Bruxelas: Formação em literacia nas universidades está no começo

No encontro de especialistas em Literacia para os Média, "Media literacy matters" https://www.mediawijs.be/en/medialiteracymatters, que decorreu em Bruxelas, de 27 de fevereiro a 1 de março, debateu-se, entre outros temas, o papel das iniciativas que...

Iberifier asesora al Congreso de los Diputados con evidencia científica sobre desinformación

La Oficina C, Oficina de Ciencia y Tecnología del Congreso de los Diputados en España, ha publicado recientemente un informe sobre Desinformación en la era digital. Este documento reúne evidencia científica en torno a...

IBERIFIER presenta los resultados de tres años de investigación sobre desinformación y medios digitales

El observatorio IBERIFIER, coordinado desde la Universidad de Navarra, ha compartido recientemente en la Asociación de la Prensa de Madrid (APM) el progreso de su investigación sobre la propagación de la desinformación en medios...