Sobre IA: “História ensina que há sempre um excesso de expectativas sobre benefícios e malefícios das tecnologias da informação”

O investigador e professor do ISCTE Gustavo Cardoso, responsável pelo Iberifier em Portugal, declarou, em entrevista à Lusa, que a inteligência artificial (IA) é um desafio para o jornalismo como “para todas as áreas de atuação humana” e lembra que as tecnologias não são neutras.

Sublinhou que uma das coisas que a história ensina com todas as tecnologias de comunicação é que há sempre “uma expectativa muito superior quanto aos benefícios e aos malefícios da mesma” e que, “depois de um período inicial, onde muitas pessoas fazem muito dinheiro com a ideia do que é que aquilo vai fazer, na prática depois vamos reajustando e vamos percebendo quais são efetivamente os usos que podemos fazer da mesma”, prossegue. Com a inteligência artificial irá provavelmente “acontecer a mesma coisa”, disse.

“Como todas as tecnologias, tudo depende de quem as usa e para que fins, as tecnologias não são neutras”, respondeu, quando questionado sobre o impacto da IA. Não são neutras porque têm efeitos que “influenciam determinados comportamentos, determinadas atuações, mas também não são nem boas nem más”, depende do uso que lhes é dado, referiu em entrevista à agência Lusa.

Portanto, “a decisão é sempre humana, mesmo na inteligência artificial”, afirmou à agência Lusa, a qual “não é artificial, é desenhada por nós”, prossegue.

Trata-se de uma “inteligência desenhada por humanos e que nós chamamos inteligência artificial porque estamos a tentar recriar, como uma espécie de objetivo último, uma forma de funcionar como os humanos funcionam”.

Agora, aquilo que irá acontecer nos próximos anos sobre a IA será, primeiro, “uma grande expectativa sobre o que é que pode acontecer para o bem e para o mal e depois uma lenta adaptação à realidade”. Foto agência Lusa: António Pedro Santos

O professor catedrático do ISCTE, Gustavo Cardoso, posa para a fotografia durante uma entrevista à agência Lusa, na sede da Lusa em Lisboa, 21 de junho de 2023. (ACOMPANHA TEXTO DA LUSA DO DIA 26 DE JUNHO DE 2023). ANTÓNIO PEDRO SANTOS/LUSA

https://combatefakenews.lusa.pt/inteligencia-artificial-e-desafio-para-todas-as-areas-de-atuacao-humana-gustavo-cardoso-c-audio-e-video/

Otros artículos

Iberifier asesora al Congreso de los Diputados con evidencia científica sobre desinformación

La Oficina C, Oficina de Ciencia y Tecnología del Congreso de los Diputados en España, ha publicado recientemente un informe sobre Desinformación en la era digital. Este documento reúne evidencia científica en torno a...

Congresso dos Jornalistas: “A desinformação triunfa quando consegue que as pessoas duvidem de tudo”, diz Ramón Salaverría

O coordenador principal do projeto IBERIFIER, Ramón Salaverría, declarou no painel dedicado à literacia que integrou o V Congresso dos Jornalistas, que decorreu em Lisboa de 18 a 21 de janeiro, que o jornalismo...

Investigador IBERIFIER: Miguel Crespo é o novo director do Cenjor, escola de referência para jornalistas

O investigador do IBERIFIER Miguel Crespo é o novo director do Centro Protocolar de Formação Profissional para Jornalistas, Cenjor. Miguel Crespo é professor no ISCTE - IUL, Instituto Universitário de Lisboa, especialista em novos...

Relatório sobre tendências de média: o desafio da diferenciar o jornalismo de outros conteúdos

O documento sobre "as tendências e inovação dos média no ecossistema português e espanhol", produzido pelo IBERIFIER e publicado no dia 10 de janeiro, aponta, além de tendências, alguns desafios à atividade jornalística. Um...

Novo relatório IBERIFIER: IA, verificação de factos e formatos visuais entre as tendências de média para os próximos anos

O primeiro relatório deste ano do Observatório Ibérico de Média Digitais e da Desinformação, IBERIFIER, é sobre o tema das novas tendências de média para 2025/2030. Entre as conclusões do documento "Análise de tendências...